HOME > NOTÍCIAS & EVENTOS > Conheça 7 tipos de tecnologias que ajudam na segurança patrimonial

Conheça 7 tipos de tecnologias que ajudam na segurança patrimonial

Se o que está em jogo é a segurança da sua casa, família ou ainda do seu negócio, é importante verificar todos os recursos disponíveis para aumentar a proteção do seu patrimônio e de quem é mais importante para você. Hoje em dia cuidar disso tudo ganhou uma ajuda valiosa: a tecnologia ampliou as possibilidades do mercado de segurança.

Com a tecnologia, agora é possível ter acesso a diversos mecanismos, cada vez mais práticos e rápidos, que ajudam no monitoramento em tempo integral e que pode ser feito de qualquer lugar.Segundo a Associação Brasileiras de Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança (ABESE), o setor cresce 13% ao ano no país. Ao contratar uma empresa, é preciso fazer uma análise de risco, relacionando os pontos vulneráveis do seu imóvel ou empresa, verificar a procedência e fabricantes dos equipamentos e treinar a equipe, para que o projeto dê cobertura completa ao local.

Veja onde a tecnologia pode lhe ajudar quando o assunto é segurança:

1 - Alarmes

Quando falamos em sistemas de monitoramento, os alarmes são sempre muito lembrados. Seu funcionamento depende também de uma série de tecnologias integradas que, por meio do disparo sonoro, inibe a ação dos criminosos, que dificilmente vão querer ficar no local com o barulho do alarme. Nesse mecanismo, diversos sensores apontados para portas e janelas enviam um sinal para a central que tem suas configurações bloqueadas por uma senha.

Os processos daí em diante dependem de cada tipo de equipamento: alguns apenas disparam o alerta sonoro, outros encaminham uma mensagem de alerta para o dono da casa ou para a empresa responsável pela segurança.

2 - Câmeras de monitoramento

As câmeras de monitoramento também têm papel essencial na segurança também inibe delitos em lugares públicos. Apesar de ser um recurso antigo, a tecnologia ajudou esses equipamentos a se modernizarem e facilitou o monitoramento para quem acessa essas imagens, tornando o processo mais rápido e efetivo. Hoje em dia já existe no mercado câmeras com a capacidade de transmissão de imagens em tempo real, pela internet.

3- Controle na palma da mão

Os dispositivos de segurança como as câmeras e alarmes, podem estar integrados com os telefones ou celulares dos moradores. Assim, é possível visualizar a casa ou a empresa na tela do celular e ser avisado imediatamente caso haja alguma situação suspeita.

4- Botão de pânico
Funciona 24 horas e é interligado à central de monitoramento. Quando um morador ou o porteiro aciona o botão, a empresa de segurança é comunica de forma silenciosa. Pode ser instalado na guarita dos porteiros e nos controles remotos utilizados pelos moradores.

5- Cerca elétrica
É um dos equipamentos mais comuns. Funciona não apenas como uma barreira física, mas também psicológica, em função da ameaça de choque. Não inibe, porém, bandidos armados que usam a força e rendem moradores para invadir o prédio. Deve ser instalada por empresa especializada e receber manutenção periódica. É recomendável que a cerca tenha monitoramento eletrônico. Dessa forma, quando um invasor cruza a barreira, dispara uma sirene e a empresa responsável pela vigilância recebe um alerta.Existe também a opção cercamento infravermelho, que torna a cerca invisível, mas mantém sensores para identificar as tentativas de invasão.

6- Acesso por biometria
Os moradores têm digitais registradas e um leitor é instalado nos acessos do prédio para permitir o ingresso apenas de pessoas cadastradas. Integrado ao sistema de alarme monitorado, também há opção de fazer a abertura da porta com acionamento de alarme silencioso para o caso de morador estar refém de algum invasor. O morador cadastra as digitais de dois dedos diferentes: uma para abertura regular da porta, e outra para emergência, que libera o acesso mas alerta a empresa de monitoramento.

7- Fechadura eletromagnética
Evita que alguém esqueça a porta do prédio ou da portaria aberta, dificultando o acesso aos ladrões, mas o nível de segurança é baixo. Mesmo que a fechadura não tenha sido girada, trava a porta e só permite a abertura por meio da chave. É importante que haja uma fonte de energia auxiliar para manter o funcionamento do sistema mesmo que haja falta de luz.

Tecnologia e segurança formam uma dupla que deu certo. E você, usa algum tipo de tecnologia da segurança em sua residência ou empresa? Conte-nos sua experiência! Na Ausec, temos todos esses serviços e produtos que aliam tecnologia e segurança!

Leitor sem contato garante retorno seguro para clientes de academias
Cresce procura por tecnologia de segurança como serviço em retomada da economia
Câmera inteligente reforça segurança de condomínios
Inteligência artificial se torna grande aliada no combate ao coronavírus
Soluções de áudio aumentam eficiência de sistemas de câmeras
Crescente incidência de roubos no meio rural acende alerta para investimento em prevenção
Participação de mulheres marca evento de agronegócio e tecnologia em Cuiabá
Estratégias da Internet das Coisas (IoT) propõem soluções para agronegócio de MT