Sistema de monitoramento por vídeo inibe delitos em lugares públicos

Os equipamentos são importantes no apoio ao trabalho de policiamento ostensivo

Nos dias atuais é cada vez mais comum o uso de câmeras de monitoramento em lugares privados e públicos. Seu principal intuito é inibir ou diminuir delitos. Tornou-se comum a instalação de câmeras em casas residenciais, ruas comerciais, parques, terminais de transporte e locais com grande aglomeração de pessoas.

 

Wagner Figueiredo, diretor da Ausec, explica que “as câmeras de vigilância ganharam mercado, pois se mostraram um dos meios mais eficientes para prevenção e controle da segurança patrimonial e pessoal, posto que possibilite visualizar e gravar imagens de locais vulneráveis ou de risco” pontua.

 

Quando essas câmeras são instaladas é importante que haja tanto uma visão panorâmica quanto uma visão detalhada que permita a identificação precisa de objetos e pessoas, as câmeras precisam ser capazes de gerar e registrar imagens nítidas a ponto de possibilitar se necessárias a leitura de placas de automóveis assim com ter um foco satisfatório em relação a objetos ou rostos de pessoas.

 

“Ou seja, quem pretende ou já utiliza este tipo de equipamento de segurança precisa ter em mente, que uma câmera mal posicionada, de baixa qualidade e que não grava (salva) as imagens, não serve para muita coisa, pois no caso de algum ilícito restará apenas à frustração de visualizar imagens que não captaram nenhuma informação relevante”, esclarece Wagner. 

 

Vale lembrar que os equipamentos são importantes no apoio ao trabalho de policiamento ostensivo, além de auxiliar na identificação de conflitos e demandas por agentes de trânsito, por exemplo.

 

 

Normalmente quando algum ato ilícito (crime) acontece e a Polícia dispõe de imagens de boa qualidade e as divulga na mídia o retorno por parte da população no geral é satisfatório, e culmina na identificação e prisão dos criminosos.