HOME > NOTÍCIAS & EVENTOS > Controle de acesso físico x controle de acesso lógico: diferença e aplicação
Controle de acesso físico x controle de acesso lógico: diferença e aplicação

Escolher um sistema de controle de acesso pode ser uma questão complicada para algumas organizações. Opções não faltam no mercado, e elas se situam entre sistemas automatizados e manuais.

 

Quer entender como funcionam os sistemas de controle de acesso físico e lógico? Confira o nosso post e entenda qual pode ser a melhor solução para a sua empresa!

 

Como funciona o controle de acesso físico?

 

O controle de acesso físico busca gerenciar o fluxo de pessoas com a ajuda de dispositivos como, fechaduras, catracas e chaves. É um sistema fortemente indicado para edifícios residenciais e comerciais, eventos e salas, bem como para áreas internas de empresas.

 

Um sistema de controle de acesso físico é composto, basicamente, por uma barreira perimetral, como um muro, cerca ou alambrado, e um ou mais pontos de acesso, controlados por dispositivos como portas e portarias que usem meios mecânicos (ex.: portões, cancelas) ou eletrônicos (ex.: catracas e fechaduras eletrônicas) e de procedimentos que formalizem a política de segurança que a organização apoia.

 

Por exigir a intervenção de um funcionário, a compra e manutenção periódica de equipamentos especializados, bem como o treinamento de equipes próprias ou terceirizadas para lidar com as mais diversas situações, esses sistemas de controle de acesso podem ser relativamente dispendiosos para algumas organizações.

 

E como funciona o controle de acesso lógico?

 

O controle de acesso lógico, por outro lado, se vale da tecnologia para permitir acesso aos locais ou sistemas. Nesses sistemas, verifica-se a identidade das pessoas que estão solicitando acesso a recursos computacionais, como smartphones, notebooks, bases de dados, dentre outros softwares e hardwares. A validação é feita com a ajuda de login e senha ou de identificação biométrica.

 

A biometria é um dos sistemas mais confiáveis para controle de acesso, pois ela verifica características individuais que não podem ser falsificadas, como a íris, a voz e a digital.

 

Senhas são tecnicamente seguras, mas ficam armazenadas no cérebro. Ou seja, elas dependem fundamentalmente do que consideramos como o elo mais fraco na corrente de segurança: o fator humano.

 

É frequente que as pessoas se esqueçam de senhas, ou usem um mesmo código em diferentes sistemas. De acordo com o Fórum Biometria, estima-se que as pessoas tenham de 20 a 30 senhas para acessar sistemas diversos, e esse número pode crescer 20% ao ano. É difícil lidar com essa sobrecarga.

 

Em sistemas de controle de acesso lógico que dependam de senhas, portanto, é preciso que o colaborador se engaje em contribuir para a segurança de toda a organização, concordando com políticas de sigilo.

 

Um bom exemplo de sistema de controle de acesso lógico são aqueles que automatizam os processos de recepção com ajuda do smartphone. Por exigirem engajamento dos colaboradores e com baixos custos, eles são ideais para espaços autogerenciáveis.

 

Política de Segurança: necessária em ambos os casos

 

Tanto o controle de acesso físico quanto o controle de acesso lógico necessitam de uma Política de Segurança, elaborada em articulação com a gestão dos recursos humanos da organização. Ou seja, antes de pensar em adotar recursos tecnológicos para melhorar a segurança de sua empresa, é preciso definir uma política que atenda suas necessidades.

 

Sistemas de controle de acesso são recursos cada vez mais importantes para a segurança física das empresas. Afinal, as técnicas para burlar a defesa das organizações estão cada vez mais aprimoradas. Espaços autogerenciáveis, como coworkings, por exemplo, precisam de sistemas de defesa automatizados que não intimidem os seus frequentadores.

 

Tem alguma dúvida sobre sistemas de controle de acesso? Pergunte para a gente deixando um comentário abaixo! Suas questões podem virar pauta no blog!

4 Razões para investir em automação predial
Por que a videovigilância é tendência em segurança
Você está preocupado com a segurança da sua empresa?
Sistema de CFTV: 12 dicas para acertar na instalação
Como escolher um sistema de alarme residencial
Sistema de incêndio: 5 dicas para instalar bem
Câmeras de vigilância: onde devem ser instaladas em uma empresa?
Conheça 7 tipos de tecnologias que ajudam na segurança patrimonial
5 Motivos para investir na segurança da sua empresa
Saiba quais são os 5 tipos de sensores de alarmes para segurança eletrônica
Saiba porque é importante ter um controle de acesso eficiente em um condomínio residencial
Conheça 10 benefícios das câmeras térmicas da AXIS; empresa parceira da Ausec
Ausec amplia sistema de controle de acesso da usina EPE
Como funciona o monitoramento à distância com câmeras IP
Como prevenir incêndios na sua empresa: 11 dicas
7 dicas de segurança contra incêndio em Estabelecimentos Assistenciais de Saúde
10 dicas de segurança para combater incêndios em ambientes de alta tecnologia
Videomonitoramento: Soluções para uma cidade mais segura
Central de Alarme Convencional ou Monitorável? Qual a melhor?
Você sabe como funciona o detector de fumaça?
Por que é importante ter uma câmera CFTV?
Boas práticas para software de monitoramento de alarmes
Segurança eletrônica pode reduzir custos em tempos de crise
Cinco benefícios do controle de acesso por biometria
As 5 funções básicas de um bom sistema de segurança
Como funciona uma proteção perimetral?
As vantagens do relógio de ponto com biometria
Benefícios da automação predial para a economia de energia
Conheça os tipos de sensores de presença mais indicados para sua empresa
Como funcionam as câmeras de segurança com captação de áudio
Quais as diferenças entre sistemas convencionais e endereçáveis nas centrais de alarme de incêndio?
Dicas: como usar a rota de saída de emergência em caso de incêndio
Automação de escritórios: 5 tecnologias que aumentam a eficiência
6 dicas para manutenção periódica do alarme de incêndio
Vantagens de um sistema de controle de acesso
Como economizar com um relógio de ponto
Gestão de espaços: como reduzir custos com ajuda da tecnologia?
6 razões para ter um Programa de Compliance Anticorrupção
9 passos para fortalecer o Compliance e a governança corporativa nas empresas
Ausec assume monitoramento de câmeras do Ciosp
omo funcionam os sistemas de identificação de pessoas
Parabéns Cuiabá. Missão dada é Missão cumprida
Política de segurança bem planejada
Saiba como controlar o acesso de sua empresa
Controle de acesso nas empresas: quais são as maiores dificuldades?
Por que é fundamental investir em relógios de ponto nas empresas?
Grupo chileno assina contrato com a Ausec para implantação de sistema de acesso
Indústria contrata solução de controle de acesso da Ausec
Você entende o conceito de eficiência energética?
Saiba como otimizar a recepção de clientes da sua empresa
Acesso digital: como as tecnologias podem contribuir para a segurança?